Theresa Catharina de Góes Campos

     
Revista Nikkei Bungaku #70 e HAICAIS selecionados
 

De: Kakinet
Date: qua., 27 de jul. de 2022 
Subject: [Kigo-BR] Revista Nikkei Bungaku #70

Haicaístas:

 

Está à venda o número 70 da revista bilíngue Brasil Nikkei Bungaku, publicada pela Associação Cultural e Literária Nikkei Bungaku do Brasil, com os haicais em português enviados por colaboradores de todo o país.

 

A revista Brasil Nikkei Bungaku é uma publicação quadrimestral que originalmente divulgava a produção literária em língua japonesa da comunidade nipo-brasileira. Tem seções de contos, ensaios, crônicas, tanca, haicai, senryu e poesia livre, além de traduções de literatura brasileira para o japonês.

 

Hoje a revista também divulga trabalhos em língua portuguesa (haicai, conto, poesia, crônica, ensaios, artigos), num espaço aberto à participação de todos os interessados.

 

A edição 70 tem 110 páginas em língua portuguesa.

 

O editor da seção de língua portuguesa é o escritor André Kondo.

 

O editor da seção de língua japonesa é Nobuyuki Miyagawa.

 

Para adquirir um número avulso, solicitar pelo e-mail nikkeisecretaria@gmail.com

 

Nesta edição, foram selecionados e publicados 128 haicais de 44 autores, com temas de primavera, selecionados por Edson Iura, que seguem abaixo.

 

 

***

 

Flor de cerejeira

cachorro tímido late

sob sua sombra.

 

Al Agus

Miami, EUA

 

***

 

Banco da pracinha –

Coberto por buganvílias

dorme o mendigo.

 

Um broche de ouro

no vestido da senhora –

Uma flor de ipê.

 

Uma chuva breve –

O ipê branco se derramando

sobre a calçada.

 

Caminha o ancião

pisando flores do ipê –

Algumas o seguem.

 

Alberto Lopes

São Bernardo, SP

 

***

 

Azulão bicudo

na gaiola do menino

sem canto, nem voo.

 

Cavalo e campeiro –

Pé ante pé sobre o pasto

vai junto a mutuca.

 

Árvore da rua –

Um ninho de jataí

na fresta da raiz.

 

Ana Welter

Toledo, PR

 

***

 

Domingo no parque –

As palminhas do neném

para o cata-vento.

 

Festa de Peão.

Assustada pelo boi,

a menina corre.

 

Dia da Criança.

O menino vende balas

na porta da loja.

 

Dia de Finados.

Entre os túmulos cinzentos

não encontrei o seu.

 

Pesca em alto-mar.

A corrida da cavala

quase estoura a linha.

 

Parque da Cidade.

No baldinho da menina,

flores de ipê-branco.

 

Antonio Seixas

Magé, RJ

 

***

 

Silêncio da tarde –

Para o saudar da poeta

Voam beija-flores.

 

Flor de laranjeira –

Brincam de pique-pega

Crianças na pracinha.

 

Festival de pipas –

A Praia do Olho D’água

Cheia de cores.

 

Padaria cheia –

O pão doce da vitrine

Atrai uma abelha.

 

Chega a primavera –

Beiradas do muro ganham

As primeiras flores.

 

Benedita Azevedo

Magé, RJ

 

***

 

casa sem jardim –

o bosque vizinho empresta

duas borboletas

 

o menino corre

com o dente de leão –

a mãe ganha um talo

 

Dia das Crianças –

acima dos algodões-doces

uma nuvem grande

 

estrada sem curvas –

na mochila do andarilho

gira o cata-vento

 

Bruno Ítalo

Teresina, PI

 

***

 

Carinho nas plantas

Floridas de minha avó –

Brisa matinal.

 

O gorjeio em bando

Ao fundo, no fim da tarde –

Memórias de infância.

 

No colo aninhada,

Num cochilo sem suspiro –

Gata em gestação.

 

Criança a brincar

No parquinho até mais tarde –

Dia prolongado.

 

A água em movimento

No lago até então tranquilo –

Dúzias de girinos!

 

Carlos Alberto Bittar Filho

São Paulo, SP

 

***

 

Uma brisa morna

entorpece os sentidos

Verde primavera

 

 

Carlos Jorge Gomes Azevedo

Baião, Portugal

 

***

 

Voltam a florir

As duas velhas mangueiras

Lembranças antigas

 

Junto ao jardim

Esqueço minha idade

Flores que se abrem

 

Olho com cuidado

As curvas do caminho

Pequeninas flores

 

Chegam os gorjeios

Do ninho entre as ramagens

Meu olhar atento

 

Carlos Viegas

Brasília, DF

 

***

 

Crianças na praia

Rodeiam o sorveteiro:

Abelhas na flor.

 

Cláudio Trasferetti

São Paulo, SP

 

***

 

Canta o passarinho

na manhã de primavera.

Um outro responde.

 

Sol de primavera.

Perambulam os cavalos

no pasto do sítio.

 

Árvore com flores.

Na cidade uma lembrança

das matas em volta.

 

Clenio F. Salviano

Campinas, SP

 

***

 

A cabeça gira

de um lado para o outro –

Voo de andorinhas.

 

Semáforo aberto –

Cruza a faixa de pedestre,

borboleta branca.

 

No quintal da casa,

corre-corre de crianças –

Bolhas de sabão.

 

Na beira do mar,

Oferenda às divindades –

Lírios brancos.

 

Cris Chinen

Santos, SP

 

***

 

Com eles girando

vendedor de cataventos

chega ao parquinho.

 

Velha cachorrinha –

Ainda aos pulinhos estoura

bolhas de sabão.

 

De olhares pra cima

A molecada da rua –

pipas enlaçadas.

 

Dia da criança –

Filha com um irmãozinho

por parte de pai.

 

Cristiane Cardoso

São Paulo, SP

 

***

 

Semana da Pátria –

a grama coberta

pelas flores amarelas

 

Primavera fria –

o cachorro vestido

de roupa florida

 

o caminho amarelo

na manhã chuvosa –

sibipiruna em flor

 

Halloween na escola –

a criança que não para

vestida de Flash

 

Daniel Morine

Santos, SP

 

***

 

dia chuvoso –

hoje a amoreira da frente

não faz sombra

 

Diogo Genryu Mizael

São Paulo, SP

 

***

 

ondulação branca

sobre as folhas de amoreira:

tem bicho-da-seda

 

Eduardo Hernandes

Brasília, DF

 

***

 

Ipês amarelos:

Forçava os olhos na praça

Velho sob o tempo

 

Emanuel Araújo

Carandaí, MG

 

***

 

Vento de primavera –

Filho atravessa a porteira

sem olhar pra trás.

 

Brisa da manhã –

Uma oração silenciosa

de gratidão.

 

Mar de primavera –

Uma corrida na areia

de tartaruguinhas.

 

À beira da estrada,

uma antiga capelinha –

Ah, três-marias!

 

Fabiana Lessa

Nova Iguaçu, RJ

 

***

 

Mendigo e cachorro

parados olham para cima

Um ipê florido

 

A gata sentada

sobre as flores na calçada

Ah, primavera

 

A criança corre

ao vento de primavera –

Borboletas voam

 

Fernando Kozu

Londrina, PR

 

***

 

cheiro de jasmim

perfuma o vento morno

nova primavera.

 

Francine Cruz

Curitiba, PR

 

***

 

Florada do ipê.

Nada tenho que fazer

nem mesmo haicais.

 

Singelo no vaso

flor de pessegueiro enfeita

altar dos antigos.

 

Francisco Handa

São Paulo, SP

 

***

 

Sob a luz do sol

por caminhos verdejantes

segue o beija-flor.

 

Isadora Benício de Sousa Dias

Itabuna, BA

 

***

 

Tempos de criança –

Flutuantes como os sonhos

bolhas de sabão.

 

Ao entardecer

despedem-se as andorinhas –

Ah! O som do silêncio.

 

Capela cheirando

à flor de laranjeira –

Grinalda de noiva.

 

Na frente da casa

entre as migalhas de pão –

Tico-ticos voejam.

 

Jaíra Presa

Santos, SP

 

***

 

Lua de primavera...

Ele me diz o seu nome

na língua dos sinais

 

Flor de pessegueiro...

Trago, ainda na memória

o primeiro beijo

 

Uma a uma,

ensino às minhas filhas...

Cores do cata-vento

 

Pinho-japonês...

Lembra da terra distante

avó da amiga

 

Jabuticaba...

O apelido carinhoso

do primeiro amor

 

Jô Marcondes

Irati, PR

 

***

 

crianças no parque

seguem bolhas de sabão

desfeitas no ar

 

por alguns segundos

borboleta entre dedos

translúcidas asas

 

Jurema Rangel

Rio de Janeiro, RJ

 

***

 

Ipê amarelo

Preocupada com fotos

Moça distraída

 

Girinos no lago

Peixes ou futuros sapos?

Criança intrigada

 

Intercalam-se

Bem-te-vis no bebedouro

Primavera quente

 

Lílian Saeko Taba

Brasília, DF

 

***

 

Feliz primavera!

O bebê dormindo abraça

as flores da fralda.

 

Lizziane Azevedo

João Pessoa, PB

 

***

 

Em silêncio, foge

o bando de borboletas –

Regador de jardim.

 

Com vagens abertas

o perfume adentra a casa –

Acácia real.

 

No degrau do altar

um buquê de mosquitinhos –

Dama e pajem brincam.

 

Aos gritos, os piás

apanham jabuticabas –

Os pés e as mãos roxas.

 

Lucrecia Welter Ribeiro

Toledo, PR

 

***

 

preguiçosamente

só quer comer e dormir –

gata em gestação

 

tufos de algodão

ou nuvem de primavera?

dúvida constante

 

uma atrás da outra

na estrada para o Sul –

salve, araucária!

 

mana ansiosa

para ir à feira-livre –

tempo de alcachofra

 

todas as manhãs

trinado despertador –

canário-da-terra

 

Madô Martins

Santos, SP

 

***

 

Borboletas voam

pelo espaço da praça –

Ah, manhã de sol!

 

A abelha se assenta

numa pétala da flor –

Clique da manhã

 

Céu de primavera –

O risco dum avião

que há pouco passou

 

As bolhas de sabão

ao vento se desmanchando –

Crianças na rua

 

Cores na manhã...

À porta do cemitério

buganvília em flor

 

Marco Aurélio Goulart dos Santos

Itapecuru Mirim, MA

 

***

 

Por toda manhã

Tremulam flores do ipê

A terra veste ouro

 

Marcos Antonio Campos

Natal, RN

 

***

 

Vento da noite –

Pela janela entreaberta,

o perfume das flores.

 

Maria Eunice Silva de Lacerda

Toledo, PR

 

***

 

Sete de Setembro.

A bandeira no carrinho

do reciclador.

 

Espinhos na mão

e uma gota de sangue.

Flor do mulungu.

 

A flor do ipê branco

caiu bem na minha mão.

Meu dia de sorte.

 

Limpeza do jardim.

Enquanto eu capino

canta a corruíra.

 

Mar de primavera.

Segue o caiaque sem pressa

no rumo do vento.

 

Rajada de vento.

Uma onda amarela

sob a tipuana.

 

Matsuki

São José dos Pinhais, PR

 

***

 

Num vaso de lata

começa a desabrochar

A flor de açucena

 

Um sai outro chega

Os beija-flores com fome

no jardim da praça

 

Quebrando de viço

à beira do poço d’água

Os pés de espinafre

 

Correm espantados

sobre o teto do paiol

Filhotes de gato

 

No copo de vidro

que o menino traz na mão

Amoras maduras

 

Atravessa a estrada

em ligeiros ziguezagues

Borboleta amarela

 

Matusalém Dias de Moura

Iúna, ES

 

***

 

O som de Chopin

pela janela entreaberta –

Borboletas em voo

 

A gaiola aberta

e a menina a soluçar

Vem cá, sabiá...

 

Um olhar pra janela,

entre uma página e outra –

Chuva de primavera

 

Na tarde monótona,

pequena mancha entre as nuvens

Partida de pássaros

 

Granizo de primavera

Crianças com o olhar

de primeira vez...

 

Mônica Monnerat

Santos, SP

 

***

 

Mil sorrisos brotam

nos lindos botões de flor!

Nova primavera!

 

Paulo Roberto de Oliveira Caruso

Niteroi, RJ

 

***

 

Borboleta branca

Brilha, baila sobre as flores

Bate suas asas, voa

 

Regiane Silva

Belford Roxo, RJ

 

***

 

Folhas tenras, flores

Primavera desabrocha

Profusão de amor

 

Roque Aloisio Weschenfelder

Santa Rosa, RS

 

***

 

A gente se vê

Na primavera que vem

Ele diz por dizer

 

Taciana Aparecida da Costa

Divinópolis, MG

 

***

 

Cai a chuva fina –

Em visita inesperada

chega um beija-flor

 

Caminho deserto –

Para quem toda a beleza

da glicínia em flor

 

O passeio à noite

com uma jaqueta leve –

Frio de primavera

 

Mar de primavera –

Sem pressa de desmanchar

as ondas vagueiam

 

Mesa para o lanche –

A abelha é a primeira

a provar o doce

 

Um raio de sol

entra leve na varanda –

Junto um colibri

 

Taís Curi

Santos, SP

 

***

 

livres sob o sol

borboletas voam

traços em aquarela

 

o amor está no ar

também os beija-flores

se apaixonam?

 

Túlio Velho Barreto

Recife, PE

 

***

 

noite de primavera –

pinceladas de café

evolam do Canson

 

manhã de primavera –

nas flores do campo

pausam abelhas...

 

tarde de primavera

entre os galhos floridos –

janelas azuis

 

Vanice Zimerman

Curitiba, PR

 

***

 

bateu o vento

jasmim no chão

perfume nas mãos

 

Wiana Kell

Fortaleza, CE

 

***

 

flores amarelas

pontilham águas do rio

viva a primavera!

 

Wladimir Moreira Santos

Brumadinho, MG

 

***

 

 

Abraços,

---

Edson Iura

kakinet@gmail.com

www.kakinet.com

 

Jornalismo com ética e solidariedade.